quarta-feira, 24 de abril de 2013

Estudo revela que Semiárido poderá se tornar deserto em 2100

Sertão nordestino

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) realizou um estudo com base em tendências climáticas que revelaram que, no ano de 2100, parte do Semiárido brasileiro poderá se tornar uma região deserta.

De acordo com o pesquisador José Marengo, o aumento da temperatura e a falta de chuva podem ser os principais responsáveis pela aridez na região.

“Em 2050, algumas partes do Semiárido já podem passar a ser áridas. Atualmente chove apenas parte do ano e a precipitação é mal distribuída. No caso da aridez, é quando não há chuva”, informou José Marengo.

José Marengo declarou que, a situação atual do Semiárido é preocupante devido à duração da estiagem. A escassez de chuvas pelo segundo ano consecutivo impõe à região a pior seca dos últimos anos. Cerca de 1.046 municípios sofrem atualmente, os efeitos da seca.

“O maior problema é que a população ainda não está adaptada à seca. E o fato não é um fenômeno surpresa, já aconteceu antes”, declarou o pesquisador.

Os efeitos mais agressivos da estiagem estão concentrados na Região Nordeste, onde o Ministério do Meio Ambiente (MMA) já identificou oficialmente quatro núcleos de desertificação.

Os núcleos estão localizados na região do Seridó, localizado na Paraíba, na região de Xingó, que abrange os municípios dos estados de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Bahia. Na região de Gibões, situado no Piauí e na região de Irauçuba, no Estado do Ceará, onde apresentam o maior problema de falta de manejo dos recursos naturais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário