sábado, 13 de abril de 2013

Projeto de residência médica será implantado na cidade de Iguatu

O evento com autoridades e prefeitura foi na CDL

A Escola de Saúde Pública do Ceará, em parceria com municípios do interior do estado e com o Instituto do Câncer do Ceará (ICC), encontra-se em pleno processo de implantação de quatro Programas de Residência Multiprofissional em Saúde, nas ênfases: Saúde da Família e Comunidade, Saúde Mental Coletiva, Cancerologia e Saúde Coletiva. 

Na perspectiva da atenção em rede, estes programas junto ao Programa de Medicina de Família e Comunidade constituem a Residência Integrada em Saúde (RIS), cujo macro objetivo é a interiorização da Educação Permanente Interprofissional em Saúde.

A Residência Integrada em Saúde constitui modalidade de ensino de pós-graduação  Lato Sensu em regime de tempo integral e dedicação exclusiva, caracterizando-se como educação para o trabalho, através da aprendizagem em serviço. O RIS é orientado pelos princípios e diretrizes do SUS-Sistema Único de Saúde, a partir das necessidades e realidades locais e regionais. A duração mínima é de dois anos com carga horária total de 5.760 horas distribuídas em atividades práticas (80%) e teóricas (20%) ao longo dos 24 meses. Durante este período, o residente é beneficiado mensalmente com uma bolsa de educação pelo trabalho no valor de R$ 2.384,00.

Aderilo conversou com coordenadores da Residência
A Escola de Saúde Pública do Ceará é a Instituição Formadora da RIS-ESP-CE e tem a Secretaria de Saúde do Estado, os municípios e o Instituto do Câncer, que participam desse processo como instituições executoras. Os municípios que fazem parte são: Aracati, Brejo Santo, Canindé, Fortaleza, Horizonte, Iguatu, Jaguaretama, Maracanaú, Quixadá e Tauá. 

Para o município de Iguatu, foi destinado um total de 26 vagas distribuídas para os seguintes profissionais: Enfermagem: 06 vagas, Odontologia: 04, Nutrição: 01, Fisioterapia: 01, Psicologia: 01, Serviço Social: 03, Terapia Ocupacional: 2, Educação Física: 02 e Médicos: 04.  

Esse projeto foi apresentado ao município de Iguatu, durante um encontro que aconteceu no auditório da CDL, na última segunda-feira (08) com a presença do prefeito Aderilo Alcântara, do secretário de Saúde, Dr. Joab Soares e a coordenação do RIS, além de outras autoridades. De acordo com Amanda Fiúza, uma das coordenadoras que esteve em Iguatu, durante o encontro, esse programa vem trazer para o município muitos pontos positivos. Dentre eles, o fortalecimento da Escola de Saúde Pública através da educação permanente, bem como a humanização do atendimento nos serviços de saúde, investimento em pesquisa científica no município, há um aumento na produtividade e para o município haverá um destaque maior no cenário da educação profissional. 

O investimento do Ministério da Saúde chega a R$ 61.984,00 por mês que equivale ao pagamento das bolsas dos 26 residentes que comporão a equipe no município de Iguatu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário