quarta-feira, 29 de maio de 2013

Mais um caso: Dentista é queimado em cidade paulista e corre risco de morrer

O dentista Alexandre Gaddy, de 41 anos, queimado por criminosos em São José dos Campos, a 97 quilômetros da capital paulista, na noite de segunda-feira, corre risco de morrer. Foi o que, informou a Santa Casa de Misericórdia da cidade do vale do Paraíba do Sul. 

Gaddy foi transferido do Hospital Municipal da Vila Industrial para a Santa Casa na manhã de ontem. Segundo o diretor técnico do hospital, o médico José Roberto Tavares, o estado dele é grave e há perigo de óbito porque a possibilidade de infecção é muito alta. O médico acrescentou que Gaddy apresenta queimaduras, algumas delas de terceiro grau, em cerca de 60% do corpo, sobretudo no tórax e nos braços, quadro de insuficiência renal e grande perda de líquido do organismo.

”Ele está em sedação profunda, por prazo indeterminado, porque a dor é muito grande”, disse Tavares. Sobre as investigações do caso, o delegado seccional da Polícia Civil, Leon Ribeiro, afirmou que as câmeras de segurança do consultório de Gaddy não estavam gravando no momento do crime. A Polícia ainda desconhece o que fez com que os criminosos ateassem fogo ao corpo do dentista. Por volta das 21 horas, ele foi levado ao banheiro do consultório e amarrado. No banheiro, foram encontrados uma embalagem de álcool e um isqueiro. Os documentos pessoais do dentista estavam no lixo, todos queimados.

O próprio odontólogo conseguiu se soltar e gritar por ajuda. Ele foi socorrido por pessoas que passavam na rua e ouviram os apelos. Quando a ajuda chegou, Gaddy já estava no corredor do consultório. Antes de ser socorrido, consciente, o dentista relatou que dois homens encapuzados haviam entrado no consultório para roubá-lo. Segundo o boletim de ocorrência, Gaddy afirmou que seria incapaz de identificar os homens, devido aos capuzes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário