segunda-feira, 17 de junho de 2013

Brasileiros realizam protestos em vários estados neste dia 17

Manifestação popular (Foto: Daniel Teixeira/AE)
E as manifestações do povo brasileiro segue em várias capitais do país. O povo nas ruas protesta. Estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande de Sul a movimentação é mais intensa. 

São Paulo: 22h08 - O major Wilhelm teve de entrar no Palácio, onde dois pelotões da Força Tática e um da Tropa de Choque. Ao menos cinco morteiros foram atacados por um grupo de manifestantes contra o portão e para o interior do terreno onde fica o Executivo paulista. As pessoas começaram a se sentar a pedido de lideranças da passeata, que tentam conter os ânimos.

21h56 – Parte dos manifestantes ainda tenta entrar no Palácio do Governo. Dois morteiros foram atirados para o interior  do local.  A situação é tensa. Outros manifestantes tentam conter o grupo e há discussões.  A polícia  se encontra no interior do Palácio.

21h44 – Manifestantes cercam o Palácio dos Bandeirantes. Um grupo tentou forçar o portão de entrada. Parte dos manifestantes se mantém disposta a entrar na sede do governo. “O Palácio é nosso, vamos entrar lá”, gritam.

21h31 - Ao menos 20 policiais formaram uma fila atrás de cada um dos dois portões do Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul. Nos últimos minutos, bases comunitárias e viaturas chegaram ao local, onde os policiais aguardam a chegada da manifestação.  Um grupo com milhares de manifestantes, integrantes do Movimento Passe Livre e responsáveis pelo policiamento nesta noite estão na Avenida Morumbi. A ideia dos manifestantes é passar pela sede do governo paulista.

Rio de Janeiro – Segue o enfrentamento entre policiais e manifestantes no centro da cidade. Na lateral da Assembleia Legislativa do estado, um carro foi virado e incendiado. O cenário é de desordem.
20h20 - Entre os vários gritos entoados pelos manifestantes, o governador Geraldo Alckmin foi um dos alvos. “Governador, pode escolher, ou cai a tarifa ou cai você”, cantava a multidão que desceu a Avenida Faria Lima sentido zona sul. Um outro grito atribuiu à violência dos últimos protestos à Polícia Militar. “Que coincidência! Não tem polícia, não tem violência”, disseram os manifestantes, que cobram a revogação do aumento das tarifas de transporte público em São Paulo. “Mãos ao alto, R$ 3,20 é um assalto”, cantou um grupo.

Vitória: a polícia entrou em confronto contra os manifestantes. Os policiais dispararam balas de borracha e gás lacrimogênio, segundo o repórter Leandro Nossa. A multidão se dispersou da rua onde fica a casa do governador Renato Casagrande, mas a reação policial despertou a ira de alguns manifestantes que depredam lixeiras na Praia da Costa, em Vila Velha.

Centenas de pessoas estão reunidas na área central do Recife, na noite desta segunda, para protestar contra a corrupção no país. Neste momento, os manifestantes ocupam o cruzamento das avenidas Conde da Boa Vista e Agamenon Magalhães, nas proximidades da Praça do Derby. O trânsito na região apresenta retenções. 

21:47 - Porto Alegre: a tropa de choque se aproxima para impedir que o ônibus seja virado e avança em direção aos manifestantes na Avenida João Pessoa. Uma carro do Corpo dos Bombeiros se aproxima para tentar apagar o fogo nos contêineres. Os manifestantes recuam e se afastam do veículo.

21:47 - Manifestantes que estão no Congresso Nacional, em Brasília, acionaram um extintor de incêndio, provocando barulho e fumaça. A polícia recolheu o equipamento e o levou para dentro da Casa. A Polícia Legislativa começou a formar um cordão do lado de dentro da Chapelaria.

Fortaleza: a manifestação terminou por volta de 20h, após o grupo percorrer cerca de três quilômetros até o hotel onde a seleção brasileira está hospedada. A polícia impediu a entrada dos jovens no local. De acordo com a organização, cerca de cinco mil pessoas chegaram a participar da manifestação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário