terça-feira, 27 de agosto de 2013

Conselho de Saúde pede retratação do Sindicato dos Médicos pelo ato de hostilização aos médicos estrangeiros

Chegada dos médicos (Foto: Igor de Melo)
O Conselho Estadual de Saúde quer a retratação do Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec), em decorrência do ato de hostilização aos médicos estrangeiros, ocorrido na última segunda-feira, 26. O órgão emitiu uma nota de desagravo em defesa dos estrangeiros. Ela foi assinada por diversas entidades favoráveis à vinda a Fortaleza dos 96 profissionais inscritos no programa Mais Médicos, do Governo Federal. 

Aberta para quem mais quiser assinar, a nota é endossada pelo Ministério da Saúde e pela bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara de Fortaleza e na Assembleia. O Conselho caracterizou como "demonstração de intolerância" e "xenofobia" por parte do Sindicato dos Médicos. 

A manifestação
Sob gritos de "escravos” e “incompetentes”, um grupo de 96 médicos estrangeiros inscritos no Mais Médicos foi hostilizado, durante a noite de segunda-feira, 26, em um protesto organizado pelo Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec) em frente à Escola de Saúde Pública, no bairro Meireles. Os profissionais estrangeiros - entre eles, 79 cubanos - participavam de uma solenidade de acolhimento organizada pelo Ministério da Saúde (MS).

"Isso é uma palhaçada. Como se aprende medicina, português e legislação do SUS (Sistema Único de Saúde) em três semanas?", comentou o presidente do Simec, José Maria Pontes. De acordo com o médico, o protesto não foi contra a vinda de médicos estrangeiros, mas a favor da aplicação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). "Como eles vão exercer a medicina sem comprovante da prática médica?", indagou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário