sábado, 14 de setembro de 2013

Brasil consegue reduzir mortalidade infantil em 77% de 1990 para 2012

A taxa de mortalidade entre crianças menores de cinco anos no Brasil caiu 77% entre 1990 e 2012, de acordo com relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). No período, diminuiu de 62 mortes a cada mil nascidas vivas para 14. De 1990 a 2012, o maior percentual de queda na mortalidade infantil no País foi obtido no Nordeste, 77,5%, passando de 87,3 mortes por mil nascidos vivos para 19,6. Nesse levantamento, também destaque para Alagoas, uma queda de 83%; Ceará, 82%; Paraíba, 81%; Pernambuco, 80,9%; e Rio Grande do Norte, 79,3%.

O resultado faz com que o Brasil ocupe o 120º lugar no ranking. Luxemburgo, o país com a melhor taxa de 194 analisados, é o último do ranking, registrando duas mortes a cada mil nascidas vivas. O primeiro colocado, Serra Leoa, por sua vez, registra 182 óbitos por cada mil nascidas vivos.

A redução da mortalidade em 22 anos no Brasil, considerada significativa, é atribuída pelo Unicef a uma série de fatores. Entre os quais a criação do Sistema Único de Saúde, a melhoria no atendimento das mães, melhores condições sanitárias, o incentivo ao aleitamento materno e a expansão da imunização.

Para o fundo, o desafio, agora, é reduzir as taxas nas populações mais vulneráveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário