segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Papa Francisco sinaliza que João Paulo II e João XXIII serão proclamados santos em 2014

João Paulo II e João XXIII
Os papas João Paulo II (1920-2005) e João XXIII (1881-1963) serão canonizados no dia 27 de abril de 2014 e se tornarão assim outros dois pontífices proclamados santos nos últimos cem anos junto com Pio X, segundo anunciou nesta segunda-feira o papa Francisco.

Pio X foi canonizado em 3 de setembro de 1954. O anúncio do papa foi feito em latim durante o consistório realizado hoje junto com os cardeais e no qual exaltou a vida de ambos.

O dia eleito pelo papa argentino é o primeiro domingo depois das celebrações da Semana Santa, quando a Igreja Católica comemora a festa da Divina Misericórdia, instituída por João Paulo II após a santificação da freira polonesa Faustina Kowalska, em 2000, conhecida como a Santa Teresa de Jesus polonesa.

Em maio de 2011, a Congregação para as Causas dos Santos, o organismo do Vaticano que avalia os candidatos à santidade, elegeu como primeiro milagre o caso da freira francesa e enfermeira Marie Simon Pierre, de 51 anos, que segundo a comissão médica se curou de maneira inexplicável de mal de Parkinson.

O episódio ocorreu em 2005, dois meses depois da morte do papa polonês. A doença da freira tinha sido diagnosticada em 1988 e ela praticamente não podia escrever e caminhar.

Em 2 de junho de 2005, a freira pediu a sua superiora que a substituísse de suas funções no hospital onde trabalhava, mas foi convencida a pedir para que João Paulo II curasse sua doença.

Segundo a versão da freira, na manhã seguinte a enfermidade tinha desaparecido.

O outro milagre de João Paulo II beneficiou uma mulher na Costa Rica que não seguiria práticas religiosas. Trata-se de Floribeth Mora, que foi internado em um hospital com um aneurisma cerebral grave, em maio de 2011.

Segundo seu próprio relato, ela teria feito uma prece a João Paulo II, pouco depois de receber seu diagnóstico, pedindo que este a curasse, no mesmo momento em que o falecido Papa era beatificado na Praça de São Pedro.

Alguns dias depois, os médicos confirmaram que o coágulo no cérebro de Floribeth havia se dissolvido, excluindo assim a necessidade de tratamento. Um dos médicos que lideraram seu caso afirmou que nunca encontrou explicação científica para a melhora de sua paciente. Fonte: Agência de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário