segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Eunício Oliveira diz que PMDB não aceita imposição de candidato no Ceará

Eunício Oliveira
“A população não aceita mais essa questão do bolso do colete dos importantes. As pessoas não suportam mais imaginar que elas vão ser governadas por um poste, como preposto, por alguém que acha que pelo fato de ser meu amigo, pode ser o próprio governante”.

A declaração foi feita pelo senador Eunício Oliveira, PMDB, durante entrevista coletiva a várias emissoras de rádio dos Municípios de Pedra Branca, Boa Viagem, Mombaça e Tauá, após a solenidade de inauguração da Agência do INSS do município de Pedra Branca, na região Sertão Central do Estado, nesta sexta-feira, 17, com a presença do Ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, Vice-governador Domingos Filho, 3 deputados federais e um deputado estadual.

Eunício afirmou que “as manifestações que vem ocorrendo no País, mostram que não adianta apenas fazer um prédio bonito. É preciso fazer desse prédio algo eficiente para a sociedade.”

Industrialização do interior
Ele também criticou o modelo de concentração de renda do Estado do Ceará.“Não dá mais pra gente viver em dois Cearás, onde num Ceará em que apenas 5 municípios concentram 70% da renda e os outros 179 municípios concentram apenas 30%. Não dá mais pra isso”.

Sucessão estadual
Ao ser indagado sobre o quadro político do Estado do Ceará para 2014, o senador peemedebista disse que “as pessoas não se sentem mais na obrigação como era no passado. Os coronéis escolhiam seus vaqueiros e botavam para governar seus municípios quando eles não podiam mais”.

O senador acrescentou ainda que “a escolha vai ser livre e democrática no Brasil inteiro e quem vai definir isso não vai ser a cúpula de um partido político. Quem vai decidir é o eleitor”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário