sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Possibilidade de seca preocupa lideranças em cidades do Interior

A chuva é a esperança de quem mora no interior
Prefeitos, líderes comunitários e moradores de diversos municípios cearenses receberam com preocupação o prognóstico da quadra invernosa anunciado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos do Ceará (Funceme), divulgado na última terça-feira. 

Segundo o órgão, há 40% de possibilidade de chuvas abaixo da média, de fevereiro a abril. A situação preocupa gestores quanto a ações para amenizar os problemas da estiagem, que pode entrar em seu terceiro ano consecutivo.

A agricultura de sequeiro é a que vem sendo mais penalizada com as sucessivas secas que atingem o semiárido brasileiro. De acordo com o titular da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Nelson Martins, as perdas em 2012 foram em torno de 84% e em 2013, 75%. 

Com relação à pecuária, morreram no ano passado cerca de 100 mil cabeças bovinas, de um total de estimado em 2,6 milhões. "Foi uma redução drástica, mas vale ressaltar que o Ceará perdeu menos que outros Estados nordestinos, onde os percentuais chegaram até 30%", disse Martins. 

Para o secretário, um cenário semelhante de estiagens anuais seguidas há 20 anos seria um verdadeiro desastre para economia do Estado. "Isso não aconteceu graças às tecnologias sociais e aos investimentos que vêm sendo financiados para o pequeno e médio produtor", afirmou.

No Sertão Central o momento ainda é de esperança, apesar das perspectivas desanimadoras apresentadas pela Funceme. Essa foi a avaliação apresentada pelo coordenador regional da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), José Militão de Almeida Neto. A orientação da entidade é de animar o homem do campo. Quando as chuvas iniciarem é importante plantar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário