domingo, 15 de março de 2015

Mais de 20 mil pessoas se reúnem em Fortaleza em manifestação contra o governo

Manifestação em Fortaleza (Foto: Renato Bezerra)
Na última sexta-feira (13), milhares de pessoas foram às ruas de diversas cidades brasileiras, incluindo Fortaleza, em defesa da presidente Dilma Roussef (PT). Hoje, foi a vez do movimento contrário sair em passeata em todo o País. Na Capital cearense, a concentração aconteceu na Praça Portugal, reunindo cerca de 15 mil pessoas, segundo contagem da Polícia Militar. 

Entre as bandeiras levantadas pelos participantes estavam críticas à desigualdade social e à violência, mas principalmente os gritos, faixas e cartazes de Fora Dilma e de repúdio ao ex-presidente Lula e ao Partido dos Trabalhadores. Também estavam entre as palavras de ordem pedidos por mais saúde e pela redução do número de deputados e senadores.

O protesto teve início às 10h30 com a execução do Hino Nacional e a oração do Pai Nosso, quando cerca de seis mil manifestantes já estavam reunidos. Famílias com crianças também participaram da manifestação, que permaneceu pacífica ao longo de toda a manhã. Cerca de 400 policiais militares foram destacados para o entorno, dos quais 180 do Batalhão de Choque.

No início do protesto, o tráfego ficou parado na Avenida Dom Luís, embora a via não estivesse bloqueada pelos órgãos de trânsito. O grupo ficou concentrado no local até perto do meio dia, quando saíram em caminhada para a Avenida Beira Mar e liberaram o tráfego no entorno da Praça Portugal.

Neste momento, o público estimado já ultrapassava 20 mil pessoas. Os manifestantes caminharam até o Jardim Japonês, onde discursaram e encerraram o protesto, novamente, ao som do Hino Nacional.

Segundo a Polícia Militar, ao longo do dia foram realizadas algumas revistas de suspeitos e um jovem foi conduzido à viatura de polícia por portar na mochila uma chave de fenda, capa, estilete e tesoura. Por volta das 11 horas, um grupo de manifestantes estendeu uma faixa com os dizeres “Intervenção Militar Constitucional Já”, mas foram expulsos, sob intervenção da polícia que escoltou o grupo para fora da concentração. Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário