domingo, 31 de maio de 2015

Mais da metade dos eleitores do Nordeste estão pessimistas com relação ao futuro do país

Um levantamento divulgado pelo Estadão Dados revela que os eleitores das regiões Sudeste e Nordeste,  que votaram de forma oposta na mais recente eleição presidencial, agora demonstram os mesmos níveis de desânimo com a situação os rumos do País. Nas duas regiões, metade da população (50% e 51%, respectivamente) se declara “pessimista” ou “muito pessimista” em relação ao futuro do País, segundo o Ibope.

As taxas não estão distantes da média nacional. Em todo o País, são 48% de pessimistas e apenas 21% de otimistas – o índice de desencanto não estava tão alto desde antes do Plano Real, em setembro de 1993. Quando a presidente Dilma Rousseff foi eleita para seu primeiro mandato, em 2010, 73% se diziam otimistas com o futuro. No ano passado, quando ela foi reeleita, a fatia ainda era grande: 49%.

A onda de negativismo que atinge o País contaminou de forma semelhante brasileiros de diferentes faixas de renda. Entre os mais pobres, que ganham até um salário mínimo, 53% estão pessimistas; entre os mais ricos, com renda acima de cinco salários, 49%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário