segunda-feira, 17 de agosto de 2015

De janeiro até junho 24 crianças e adolescentes acolhidos em abrigos foram adotados em Fortaleza

O Setor de Cadastro de Adotantes e Adotandos do Juizado da Infância e da Juventude de Fortaleza divulgou, nesta segunda-feira (17/08), estatística sobre os casos de adoção na Capital. Segundo os dados, 24 crianças e adolescentes acolhidos em abrigos foram adotados no período de janeiro até junho deste ano. Ainda de acordo com os números, existem atualmente 30 adoções em andamento. Além disso, 30 crianças e 32 adolescentes estão disponíveis para adoção, e 20 estão sendo visitadas por pretendentes habilitados.

A Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional (Cejai/CE) do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) acompanha crianças e adolescentes que chegam nas unidades de acolhimento. Inicialmente, elas entram no Cadastro Nacional de Adoção. Depois, é feita a tentativa de adoção no Ceará. Não sendo possível, ocorre a disponibilização para candidatos de outros Estados.

Segundo a Cejai, não havendo a possibilidade de inserção numa família brasileira, a criança e o adolescente serão apresentados à adoção internacional. Nesse caso, a Comissão busca impedir o tráfico de pessoas e garantir que o adotado adquira direitos no país onde irá morar.

A desembargadora Lisete de Sousa Gadelha, integrante da 1ª Câmara Cível do TJCE, é a presidente da Cejai. A instituição tem como missão prevenir, controlar e fiscalizar as adoções com o intuito de garantir uma vida feliz junto à nova família, obtendo assim, melhor qualidade de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário