sábado, 1 de agosto de 2015

Dengue no Ceará: 2015 já tem o dobro de casos em relação a 2014

O Ceará registrou nos sete primeiros meses de 2015 mais que o dobro de casos de dengue que os confirmados em todo o ano de 2014. Os dados da última semana epidemiológica, divulgados ontem em boletim pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), indicam que o Ceará confirmou 37.601 casos de dengue. O número já representa aumento de 106% em relação aos 12 meses do ano anterior, que foi de 18.243 casos. Somente em Fortaleza estão concentrados 50,5% (18.955) dos casos de todo o Estado em 2015.

O boletim aponta o registro de 613 casos graves da doença no Estado, sendo que 34 evoluíram para óbitos - 14 deles na Capital. Outras 37 mortes ainda estão sendo investigadas. Ao contrário de 2014, em que três sorotipos da enfermidade circulavam, em 2015 o sorotipo 1 (Denv-1) é responsável por 97,6% do casos. Esta é uma das explicações dadas pelo técnico da Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde, Osmar do Nascimento, para o elevado número de casos este ano.

“Fortaleza apresentou média de 650 casos a cada 100 mil habitantes. Quando esse número ultrapassa 300 casos, é considerado epidemia. E um dos fatores é que o sorotipo 1 não circulava nesta proporção desde 2011, o que permitiu que a população ficasse descoberta”, aponta, explicando que, ao contrair um dos tipos da doença, a pessoa adquire imunidade para apenas aquele tipo.

Além das medidas de visitação e saúde-educação rotineiras, Nascimento acrescenta que ações emergenciais, como mutirões e fumacês, também foram realizadas. “Principalmente em áreas com incidência muito alta, como na Regional VI (8089 casos) e no Jangurussu (1869 casos), que é o mais atingido”.

No Estado, o titular da Sesa, Henrique Javi, adianta que já começa a planejar as ações para 2016. “Neste segundo semestre, vamos destacar as melhores práticas - porque nós tivemos municípios com índices zero de dengue - para difundí-las nos demais municípios. Nossa equipe está toda voltada para garantir que teremos melhores resultados que 2015”, garante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário