quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Prefeito Aderilo Alcântara busca parceria com o Governo do Estado para construção de moradias populares em Iguatu


O prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara e o deputado estadual Agenor Neto (PMDB), participaram, na tarde desta quarta-feira (12/08) em Fortaleza, de reunião com a Secretária Executiva da STDS do Governo do Estado, Ana Maria Cruz, para tratar de projetos de moradia populares para o município de Iguatu. Também estavam presentes a coordenadora técnica do Proares, Anete Morel e Fátima Lourenço, do Plano Participativo Habitacional.

Na oportunidade, Aderilo Alcântara fez um relato dos problemas de déficit habitacional enfrentados pelo município, e da situação vivida nas últimas semanas por dezenas de famílias que resolveram acampar em um terreno público no bairro João Paulo II. "É uma situação preocupante. Mostramos o nosso drama, e sugerimos que o Estado utilizasse os recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP) para amenizar a situação de milhares de famílias carentes que atualmente não tem onde morar ou moram de favor em Iguatu.  Não tivemos uma resposta agora, mas vamos procurar a Secretaria das Cidades, vamos até o Gabinete do governador para tentarmos chegar a um acordo que possa resolver parte dessa demanda de moradias populares que existe no nosso município", disse.

Ele ressaltou que a Prefeitura de Iguatu tem um projeto de moradias populares iniciado há mais de dez anos, inclusive com milhares de famílias cadastradas, mas infelizmente está paralisado devido a dificuldades na obtenção de recursos financeiros juntos aos governos estadual e federal. "O projeto foi iniciado há mais de dez anos, mas os recursos diminuíram muito nos últimos cinco anos, e o município não tem como bancar sozinho", lamentou.

O deputado estadual Agenor Neto (PMDB) lembrou que o FECOP foi aprovado em 2003, durante o governo Lúcio Alcântara, com a finalidade de financiar projetos de combate à pobreza no Ceará, através de ações de infraestrutura e qualificação. "Eu estava como deputado, e conseguimos aprovar o projeto, que inclusive beneficiou Iguatu com a construção de vários conjuntos habitacionais, como o Maronildo Lima, Padre José Marques e Raimundo Florentino, além de várias casas na Vila Coqueiro", disse. "Nos governos seguintes ocorreram desvios de finalidade no projeto”, pontuou. 

O parlamentar lembrou ainda que na sua primeira gestão como prefeito de Iguatu, os vereadores de oposição deixaram de votar um projeto que iria beneficiar 1.196 famílias com moradias populares. “Se na época aquele projeto tivesse sido aprovado, talvez essas famílias que hoje ocupam um terreno no bairro João Paulo II não tivessem clamando por moradias”, observou.

Convém lembrar que na área atualmente ocupada pelas famílias do bairro João Paulo II  está sendo construído um Centro Esportivo, através de um convênio entre o Governo do Estado (Proares) e o município, e vai beneficiar os moradores dos bairros João Paulo II e Areias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário