terça-feira, 22 de setembro de 2015

Dólar bate recorde histórico e chega a R$4,05

O dólar fechou no nível mais alto na história nesta terça-feira (22), no patamar de R$ 4,05, catapultado pelas incertezas sobre a situação fiscal e turbulências políticas no Brasil e pela perspectiva de alta de juros nos Estados Unidos ainda neste ano.

O dólar avançou 1,83%, a R$ 4,0538 na venda, superando o recorde anterior de R$ 3,99, de outubro de 2002. Na época, a moeda norte-americana foi impulsionada, entre outros fatores, pelas perspectivas de que o então candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria eleito, algo que não agradava o mercado financeiro. Na máxima dessa sessão, o dólar alcançou R$ 4,0681, recorde histórico intradia e, desde o início do ano, acumula avanço de 52,47%.

"(O dólar) vai continuar subindo, sabe-se lá até onde", disse o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues. "O problema é a falta de credibilidade, o ambiente de incertezas. Não há leilão que segure", acrescentou, referindo-se às intervenções do Banco Central.

No curto prazo, a maior preocupação dos investidores é que o Congresso Nacional derrube o veto ao reajuste dos servidores do Judiciário, dificultando ainda mais o ajuste das contas públicas. As preocupações seguiram fortes mesmo após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, defender nesta segunda-feira (21) que esse veto deveria ser mantido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário