terça-feira, 29 de setembro de 2015

MPF entra com ação de improbidade contra Ciro Gomes e Carlile Lavor

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou nesta terça-feira, 29, ação de improbidade administrativa contra Carlile Lavor e Ciro Gomes (PDT), ambos ex-secretários de Saúde do Estado. Segundo o procurador Celso Leal, houve irregularidades na implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) no Cariri. 

Além de Ciro e Carlile, dois gestores do Samu também foram incluídos como acusados. O MPF pede ainda a anulação do contrato e o congelamento liminar de R$1,9 milhão da Cooperativa de Trabalho de Atendimento Pré-Hospitalar (Coaph), contratada para prestar serviços pré-hospitalares ao programa.

De acordo com a peça ajuizada na Justiça, a empresa escolhida pela Secretaria de Saúde para prestar serviços ao Samu, a Coaph, foi contratada sem licitação com razões que o MPF classifica como "notoriamente precárias e absurdas". 

Segundo o texto, a Secretaria considerou que a Coaph seria a única cooperativa com a especialidade na área que poderia prestar o serviço. Entretanto, para o MPF, tal circunstância se limitaria ao Ceará. 

A licitação, devido ao volume dos recursos envolvidos, deveria ter sido realizada, porém, em nível nacional. Nas palavras do procurador, "o processo de inexigibilidade para a contratação da Coaph não representou nada mais que uma grande farsa". Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário