segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Novo delator diz ter feito repasse a Eduardo Cunha no exterior

O lobista João Augusto Rezende Henriques, novo delator da Operação Lava Jato, afirmou ter feito repasses para um conta do exterior que teriam como beneficiário o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. É o segundo delator da Operação a citar o peemedebista. Em julho, o lobista Júlio Camargo relatou ter pago propina a Cunha.

Henriques, de acordo com a investigação da Polícia Federal, atuaria como homem de confiança do PMDB junto à Diretoria Internacional da Petrobras, principal empresa investigada pela Lava Jato.

De acordo com o depoimento, divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o valor se refiria a um contrato da Petrobrás para exploração de petróleo em Benin, país africano próximo à Nigéria. Segundo Henriques, uma comissão foi transferida para uma conta no exterior a pedido de uma pessoa chamada de Felipe Diniz. Posteriormente, o lobista descobriu que o titular da conta era o hoje presidente da Câmara. Ele não soube explicar porque foi pedido que a transferência fosse feita àquela conta e afirmou que nunca se encontrou com Cunha.

O depoimento de Henriques, por citar um detentor de foro privilegiado, foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF). A Ministério Público da Suiça informou, segundo o jornal Folha de S. Paulo, que Henriques também está sendo investigado no País.

Procurado pela Folha de S. Paulo, Cunha não quis comentar o depoimento. "Lava Jato também é com o meu advogado. Não vou falar", disse em um evento na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário