quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Cunha contraria ato do Congresso e autoriza protesto no gramado da Câmara

Apesar de ato do Congresso Nacional proibir a montagem de tendas no gramado em frente à Câmara dos Deputados e ao Senado, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou representantes do Movimento Brasil Livre (MBL) a acamparem desde ontem no local, em protesto a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Manifestantes afirmam que, mesmo sem a autorização do presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), eles continuam no local, também respaldados por parlamentares da oposição.

O ato conjunto de número 1º – assinado em 7 de agosto de 2001 pelos então presidentes da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), e do Senado, Edison Lobão (PMDB-MA) – veda a “edificação de construções móveis, colocação de tapumes, arquibancadas, palanques, tendas ou similares” na área compreendida entre o gramado e o meio fio das vias que margeiam o prédio do Congresso. Apesar da proibição, a reportagem constatou que representantes do MBL montaram pelo menos 13 barracas e dois toldos grandes no local desde a última quarta-feira.

Um dos coordenadores do MBL, Kim Kataguiri, 19, contabiliza que cerca de 15 pessoas do movimento estão acampadas no local. Segundo ele, os manifestantes devem seguir por tempo “indefinido” no local, com o objetivo de pressionar parlamentares a votarem a favor do impeachment. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário