sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara participa de seminário sobre G20 em Petrolina-PE


Nos dias 22 e 23 de outubro acontece um importante seminário e uma reunião de cúpula do G20 tendo a participação dos prefeitos dos municípios que compõem esse grupo. O evento acontece na cidade de Petrolina-PE. O G20-Semiárido é formado pelos 20 maiores municípios do semiárido, região que está presente em nove Estados da Federação. Esses municípios são expoentes em atividades econômicas que vão de fruticultura irrigada à extração de petróleo, sendo responsáveis por um volume considerável do PIB nacional.

Os municípios que integram o G20 são os seguintes:
Alagoas: Arapiraca;
Bahia: Feira de Santana, Jequié, Juazeiro, Paulo Afonso e Vitória da Conquista;
Ceará: Caucaia, Crato, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Maranguape, Iguatu e Sobral;
Paraíba: Campina Grande e Patos;
Pernambuco: Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Garanhuns e Petrolina;
Rio Grande do Norte: Mossoró.


Para o prefeito de Petrolina, Júlio Lossio, anfitrião do seminário, o fortalecimento do G20 proporciona mecanismos para atrair projetos estruturantes para todo o semiárido. Ele afirma que são ações vitais para uma região complexa e com uma variedade muito grande de cadeia produtiva. 

Já para o prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara, esse é um momento importante onde é possível apresentar propostas que fortalecem os municípios do semiárido na busca de fomentar projetos que possam gerar ações de crescimento para a população de toda essa região. Na oportunidade, Aderilo já colocou à disposição do G20, o município de Iguatu, para sediar o próximo encontro. 

A Sudene

O superintendente da Sudene, José Marcio sinalizou positivamente para a iniciativa, chamando a atenção para que o G20 observe a necessidade de criar um ambiente de participação igualitária dos municípios do Semiárido, para evitar a concentração de investimentos e a interiorização do desenvolvimento. O líder da autarquia também acolheu a ideia de que a Sudene colabore no mapeamento das cadeias produtivas que integram a economia do semiárido. O levantamento deverá apresentar, entre outros dados, aspectos facilitadores e desafios a serem vencidos para o desenvolvimento da região. O diagnóstico também subsidiará gestores públicos com informações relevantes para a criação de outros projetos e iniciativas com o mesmo objetivo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário