domingo, 4 de outubro de 2015

Transposição do São Francisco: atraso nas obras já chega a 15 anos

Obras de transposição chegam a 15 anos de atraso
Já são 15 anos de atraso. E a expectativa é de, pelo menos, mais dois anos na espera para que, quem depende da água para produzir, tenha o Rio São Francisco banhando e irrigando o caminho por onde deverá passar. Os Estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte vivem essa expectativa desde 2007, quando as obras foram iniciadas.

O projeto de transposição do "Velho Chico", estimado em R$ 4,5 bilhões, está orçado em R$ 8,2 bilhões com base na planilha orçamentária vigente. Do valor, já foram investidos R$ 6,9 bilhões até 31 de agosto deste ano. As obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. Os recursos do projeto são exclusivamente da União. A previsão de entrega da transposição do Rio, inicialmente, era no ano 2000. Contudo, começaram a ser entregues apenas em outubro de 2014, com o acionamento da primeira Estação de Bombeamento do Eixo Leste (EBV-1), no município de Floresta (PE).

No último dia 21 de agosto, a presidente Dilma Rousseff acionou o motor da primeira Estação de Bombeamento (EBI-1) do Eixo Norte, em Cabrobó (PE). Segundo o governo federal, "a obra é construída por etapas e os cronogramas de execução do empreendimento priorizam a sequência construtiva do "caminho das águas" do projeto, ou seja, das captações até os estados que serão beneficiados.

No Ceará, alguns trechos de obras das Metas 1N, 2N e 3N do Projeto de Integração do Rio São Francisco passam pelos municípios de Penaforte, Brejo Santo, Jati, Mauriti e Barro. Essas etapas fazem parte do Eixo Norte, que apresenta 80,1% de execução física. Atualmente, 3.284 trabalhadores atuam nestas obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário