segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Governo do Ceará ainda não mostrou a "cara" para muitos municípios do interior

O HRSC ainda não conseguiu atender a nenhum paciente da região
O governador do Ceará, Camilo Santana, ainda não mostrou a "cara" do seu governo para muitas cidades do interior do Ceará. Um exemplo muito claro dessa forma de governar o estado sem a equidade regional é vista no setor da saúde. 

Muitos municípios ainda hoje esperam do governo cearense o apoio necessário para que a população tenha um melhor atendimento nos hospitais polos do interior. Pode-se destacar na trilha do isolamento desses municípios o Hospital Regional do Sertão Central, na cidade de Quixeramobim, inaugurado no dia 28 de dezembro de 2014 e ainda não atendeu sequer um paciente. Nem abriu as portas para atender a população dos 10 municípios daquela região que serão atendidos pelo equipamento de saúde. 

A população ainda hoje vive a perguntar: Mas cadê o hospital? Essa mesma pergunta também é feita pelos prefeitos da região e os servidores que prestaram seleção para atuar no HRSC. 

UTI de Iguatu quase pronta mas sem apoio do Governo do CE para funcionar
O município de Iguatu também não é diferente de Quixeramobim quando se trata de descaso desse atual governo: O prefeito Aderilo Alcântara já vem há muito tempo solicitando o apoio do governo do estado para a locação de um maior volume de recurso para o Hospital Regional que atende a 10 municípios e vem bancando sozinho os recursos que são inerentes aos municípios da microrregião de saúde e também o custeio para o funcionamento da nova UTI Neonatal que está em fase de conclusão. Ao que se sabe é que esse atual governo já sinalizou que se depender do dinheiro da Secretaria de Saúde do Ceará, a UTI de Iguatu não vai funcionar de jeito nenhum. 

O governador Camilo Santana foge do tema e quando é indagado pela imprensa acha que o Ceará vive num "mar de rosas" e se esquiva quando os problemas são apontados e não fala das dificuldades porque só quer falar de coisas boas como se não existissem problemas. Para a Saúde ele diz em alto e bom som que não tem dinheiro. Nem para o hospital de Iguatu e nem para o de Quixeramobim. Coloca a culpa na União, que segundo ele, só envia 50% dos recursos necessários para o setor. Ele diz que a esperança está na CPMF. Como a esperança é a última que morre, esperamos que esse governo não mate essa esperança e nem deixe a população morrer por falta de atendimento.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário