quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Camilo Santana diz em Angola que Ceará será referência em conectividade na América do Sul

Camilo Santana e comitiva com equipe africana (Foto: Ascom)
A multinacional de telecomunicações Angola Cables iniciou nesta quarta-feira (9), em Sangano, na costa angolana, o lançamento do cabo submarino de fibra ótica South Atlantic Cable System (Sacs). A previsão é de que o cabo chegue a Fortaleza em fevereiro de 2018, percorrendo 6.200 quilômetros pelo Oceano Atlântico. O governador Camilo Santana participou da solenidade e destacou que o “Ceará passa a ser referência em conectividade”.

“Este cabo que foi lançado hoje significará um grande passo nas telecomunicações do país e um marco na conexão entre a América do Sul e a África. É um momento muito importante para Fortaleza e para nosso estado”, citou o governador Camilo Santana, que estava acompanhado dos secretários César Ribeiro (Desenvolvimento Econômico) e Inácio Arruda (Ciência e Tecnologia) e do vice-prefeito Moroni Torgan.

Atualmente, a conexão entre a América do Sul e a África passa pela Europa e pela América do Norte, até chegar ao Brasil. “Agora, com o novo cabo, vamos ter uma conexão muito mais rápida, com muito mais qualidade e segurança. Fortaleza será um HUB de conexão de internet para o mundo”, destacou o governador do Ceará.

O CEO da Angola Cables, António Nunes, afirmou que o South Atlantic Cable System (Sacs) é a “concretização de um antigo sonho” para o país africano. “A conectividade entre Angola e o Brasil passa a ser uma realidade a partir de agora. Estaremos em Fortaleza em breve para a chegada com cabo de conectividade entre a África e a América do Sul. Agradeço a visita da comitiva do Ceará e pela importante parceria que estamos estabelecendo em telecomunicações”, disse Nunes.

Investimentos no Ceará

A Angola Cables está investindo cerca de 300 milhões de dólares em projetos na capital cearense. Além do cabo de fibra ótica Sacs, a empresa constrói outra rede submarina, o sistema Monet, e um DataCenter localizado na Praia do Futuro. A previsão é de gerar cerca de 40 empregos diretos e 800 indiretos até 2030, segundo projeções da própria empresa. Fonte: Ascom/Governo do Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário