segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Oficina de Pais e Filhos é apresentada para promotores de Justiça do Ceará

Essas oficinas orientam promotores de Justiça nas áreas de Família
e Infância e Juventude
Promotores de Justiça que atuam no Interior do Estado e estão participando do Curso de Vitaliciamento puderam conhecer mais sobre a Oficina de Pais e Filhos, projeto do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que é desenvolvido, em Fortaleza, pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Fórum Clóvis Beviláqua. A palestra foi ministrada, na tarde desta sexta-feira (15/09), na Escola Superior do Ministério Público, pela juíza coordenadora do Cejusc, Jovina d’Avila Bordoni, e pelo chefe do Cejusc, Helder Cesar de Sousa Assunção.

Durante a palestra, foram apresentados os objetivos, os procedimentos e a metodologia usada na Oficina, que visa oferecer às famílias que enfrentam a ruptura do laço conjugal instrumentos para criarem uma efetiva e saudável relação parental junto aos filhos. “O objetivo é divulgar a Oficina para os membros do Ministério Público, como forma de propagar essa prática de pacificação social, especificamente na área familiar”, explica a juíza Jovina d’Avila.

As Oficinas de Pais e Filhos acontecem quinzenalmente na sede do Cejusc, no Fórum Clóvis Beviláqua, e também, periodicamente, nas extensões do Centro localizadas na Defensoria Pública, Universidade de Fortaleza (Unifor) e Faculdade Farias Brito (FFB). Criada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e implantada por Tribunais de Justiça de vários estados, a Oficina visa estimular a resolução pacífica dos conflitos familiares. Além dos conteúdos educativos voltados para os pais, desenvolve atividades lúdicas e reflexivas com os filhos, divididos em dois grupos, de acordo com a faixa etária (crianças e adolescentes). Desde o início do projeto em Fortaleza, em 2014, já foram realizadas 43 Oficinas, beneficiando 1.624 participantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário